A vereadora Amanda Gurgel (PSTU) deu a informação durante o lançamento de seu livro “A quem serve a crise da Educação Brasileira?”, na sexta-feira (25), na Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa, na Zona Norte de Natal. O livro analisa diversos aspectos da crise da educação pública no Brasil e no RN e aponta propostas para retirar o setor da situação dramática que vive hoje.

ag mesa

Nos últimos 8 anos, foram fechadas 16 mil escolas públicas no Brasil, enquanto outras 7 mil escolas privadas foram abertas. A informação foi dada pela vereadora Amanda Gurgel (PSTU) durante o lançamento de seu livro “A quem serve a crise da Educação Brasileira? Uma análise da realidade educacional no Brasil e no RN”. O evento aconteceu na sexta-feira (25), na Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa, no Conjunto Santarém, Zona Norte de Natal. O lançamento reuniu, principalmente, professores e estudantes da Escola Estadual Adelino Dantas.

Na apresentação do livro, a vereadora Amanda Gurgel disse que a crise da educação pública pode ser observada desde os pequenos detalhes e acaba criando problemas ainda mais graves. “Salas de aula quentes, escolas com pintura velha, instalação elétrica acabada, déficit de professores. Tudo isso cria um problema ainda mais grave. Mostra aos alunos que ninguém se importa com o futuro deles.”, criticou.

Amanda argumentou que o baixo investimento dos governos em educação pública favorece o crescimento do ensino privado e acaba transformando um direito em privilégio. “Com o ensino público cada vez mais precário, as pessoas são obrigadas a buscar escolas particulares, a pagar por um direito. É assim que acontece a privatização da educação. Isso explica o fechamento de 16 mil escolas públicas e a abertura de 7 mil escolas privadas em 8 anos.”, analisou a vereadora, citando dados do próprio Ministério da Educação, que estão reunidos no livro.

Amanda autografou livros

A professora Amanda Gurgel explicou ainda que o caos na educação pública faz parte de uma política planejada pelos governos, que submetem a educação a uma política econômica neoliberal. “A política econômica dos governos é a de retirar dinheiro da educação, da saúde, da moradia, e mandar para banqueiros metade do orçamento do país na forma de pagamento de juros da dívida pública. Com a crise econômica, o governo quer economizar uma quantia ainda maior para os bancos. É o tal do superávit que Dilma, o Congresso e os jornais tanto falam. É a economia que o governo faz reduzindo nossos direitos, nossa educação, para garantir os lucros dos banqueiros e pagar uma dívida que nós não fizemos.”, afirmou a vereadora.

“A gente precisa do estudo para viver”

A estudante Virna Soares, 14, está no 9º ano do Ensino Fundamental, na Escola Estadual Adelino Dantas. Ela participou do lançamento do livro junto com sua turma e falou que não tem professores de Cultura do RN e Educação Física desde o início do ano letivo. O professor de Português é temporário e o de Inglês só foi contratado em setembro. Virna também relatou que vários alunos não têm livros didáticos e que a infraestrutura da escola é muito precária. “Em agosto, o teto de uma sala caiu.”, contou.

A estudante disse que se preocupa com a situação da educação e culpa os governos pela realidade das escolas. “A gente precisa do estudo para viver. Mas os governos não se interessam em mudar isso, eles não têm interesse na gente. E quando a gente vai pra rua protestar, eles tratam a gente como bandido.”, criticou Virna.

10% do PIB exclusivamente para a educação pública

A vereadora Amanda Gurgel também criticou os cortes do governo Dilma (PT) no orçamento da educação, que já somam R$ 16 bilhões. Amanda ainda reafirmou que a luta pelo investimento imediato de 10% do PIB (soma das riquezas do país) em educação continua, já que estes recursos precisam ser destinados exclusivamente ao setor público e não podem esperar mais 10 anos. Ao final, a vereadora do PSTU disse que os trabalhadores brasileiros precisam construir nas ruas uma alternativa de poder, para tirar o país da crise. “Não queremos nem o chicote do governo Dilma e do PMDB nas nossas costas nem queremos a oposição falsa e mentirosa do PSDB. Precisamos construir um terceiro campo, independente deles.”, defendeu Amanda.

Veja outras fotos do lançamento.

LIVRO | A quem serve a crise da Educação Brasileira?????

A partir de um levantamento de dados, a obra analisa diversos aspectos da crise da educação pública, como o baixo investimento brasileiro comparado a outros países, analfabetismo, Plano Nacional de Educação, adoecimento de professores e a situação de Natal e do RN. O livro também apresenta a concepção socialista de escola, defendida pela professora, para conquistar uma Educação Pública, gratuita, universal e de qualidade. O trabalho foi escrito pela professora Amanda Gurgel em parceria com o pesquisador do Instituto Latino-americano de Estudos Socioeconômicos (ILAESE), Nazareno Godeiro.

O livro pode ser adquirido pelo telefone (84) 99666.8023 ou pela internet, no site da editora Sundermann. Clique AQUI.

Facebook Comments